Tente imaginar o que é ir dormir e nunca mais acordar: 4min com a resposta de Alan Watts, áudio original

Experimente e imagine que será como ir dormir e nunca mais acordar. Pense a respeito! As crianças pensam a respeito. Esta é uma das grandes maravilhas da vida. Como seria ir dormir e nunca mais acordar? E se você pensar o bastante, algo ocorrerá com você. Você descobrirá, entre outras coisas, que te colocará uma nova questão. Como foi despertar após nunca ter ido dormir? Isto foi quando nascemos. Veja, você não pode ter uma experiência do nada; a natureza abomina o vazio, Então, depois que você está morto, a única coisa que pode acontecer é a mesma experiência, ou o mesmo tipo de experiência de quando você nasceu.”
~ Alan Watts, trecho de “The Real You”

alanwatts_morteO filósofo britânico Alan Watts (1915-1973), autor de “The Way of Zen” e “The Book: On the Taboo Against Knowing Who You Are”, se perguntava desde criança para onde vamos quando morremos, ou o o que aconteceria se ele fosse dormir e não acordasse? “A maioria das pessoas dá de ombros e diz que é assim mesmo, mas eu não era uma dessas pessoas que se contentava com um tipo de respostas dessas”, disse ele. O vídeo abaixo contém 4 minutos de um dos discurso de Alan Watts sobre esse assunto, em áudio original gravado e editados com imagens e música, cortesia de alanwatts.org e do canal TragedyandHope. Watts fez várias discursos sobre a morte e há um capítulo inteiro do livro “The Essence of Alan Watts” dedicado ao assunto “Morte”, que pretendo traduzir algum trecho futuramente, pois explica e expande mais essa visão básica que ele apresenta muito brevemente neste discurso — incluindo esses detalhes da infância e também inventando um novo verbo, o “to I“, que seria algo como “eu-er” (a ação de ser “eu”).

Segue o vídeo (3min59seg) com legendas embutidas em português que devem ser ativadas no controle inferior do player (um ícone retangular):

//////////

More from Nando Pereira (Dharmalog.com)
“Meditação é o processo para alcançar o desapego”: método básico, por Ajahn Brahm
Na abertura de um retiro de 9 dias em North Perth (Austrália),...
Read More
Join the Conversation

8 Comments

  1. says: Maria Christina De Lemos

    Grandes pensamentos,reflexões,buscas.A vida é eterna,é isso

    mesmo.Com a minha morte cria se um vazio momentâneo, que instantaneamente será preenchido com vida.Nada no universo fica vazio. Gostei muito do trabalho lindo ,verdadeiro e generoso.
    Namastê.

  2. says: ANDRE GIALLUISI

    HIPOTESES,CONJECTURAS…RELAÇÕES SEM CAUSA E EFEITO(NASCER E O MORRER). NÃO ADMITIMOS QUE SOMOS IGNORANTES,LIMITADOS . ÑÃO HA O QUE TEMER A MORTE ,PRIMEIRO POR SER INEVITAVEL E SEGUNDO À MEDIDA ,EM VIDA QUE NOS DESAPEGAMOS E PERCEBEMOS QUE NÃO SOMOS ESSE CORPO MAS ESTAMOS NUM CORPO.

  3. says: Kennedy Duarte

    A maior ilusão: se considerar e achar que exista um “eu”, isolado, separado, diferente, uma entidade à parte. O maior despertar: perceber que não existe nenhum “eu”, isolado, separado, diferente, nenhuma entidade à parte. Alan Watts expõe o Vedanta Avaita maravilhosamente. Show !!!

  4. says: Jack

    Isso é só uma desculpa para se conformar com a realidade que é a seguinte… tudo acaba. O conceito de eterno não existe, o próprio universo não é eterno.

Leave a comment
Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *