“Está muito enganado quem pensa que o silêncio é necessariamente o deserto, o vazio, a ausência de toda atividade”: Omraam Mikhaël Aïvanhov

“Está muito enganado quem pensa que o silêncio é necessariamente o deserto, o vazio, a ausência de toda a atividade, de toda a criação, numa palavra, o nada! Na realidade, há silêncio e silêncio… mas, de uma maneira geral, podemos dizer que existem duas espécies de silêncio: o da morte e o da vida superior. É precisamente este último que é necessário compreender e é dele que falamos aqui. Este silêncio não é uma inércia mas sim um trabalho, uma atividade intensa que se realiza no seio de uma harmonia perfeita. Também não é um vazio, uma ausência, mas uma plenitude comparável àquela que experienciam os seres unidos por um grande amor e que vivem algo tão intenso que não conseguem exprimi-lo por gestos nem por palavras. O silêncio é uma qualidade da vida interior.”
Omraam Mikhaël Aïvanhov (1900-1986), filósofo místico belgo-francês

 

//////////

Foto por Aristocrats-hat (licença de uso BY-NC Creative Commons)

More from Nando Pereira (Dharmalog.com)
Whatever you do, make it an offering to Me
“Whatever you do, make it an offering to me–the food you eat,...
Read More
Join the Conversation

7 Comments

  1. says: cristina

    Sim este silencio em que o texto se refere para mim e de grande importancia ele traduz quase uma das grandes joias do buda interno contemplar e trabalhar o amor por todos e todos os seres de uma forma em que nada se separa tudo e unidade e luz .

Leave a comment
Deixe uma resposta para FabianoCancel comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *