O Livro Tibetano dos Mortos, o filme sobre o clássico budista, narrado por Leonard Cohen e com Dalai Lama e Ram Dass [VÍDEO]

O clássico Livro Tibetano dos Mortos, talvez o livro mais conhecido do mundo sobre o processo de morte e reencarnação, foi transformado em documentário pelo diretor Barrie McLean em 1994, em duas partes — “A Way of Life” e “The Great Liberation” – e segue abaixo na íntegra, com narração do cantor e compositor canadense Leonard Cohen, conhecido devoto do Budismo que foi ordenado monge zen na California (EUA) em 1996. O documentário tem as participações do XIV Dalai Lama, Tenzin Gyatso, e do escritor espiritualista Ram Dass.

Abaixo a primeira parte, “A Way of Life“, 45min, narrado em inglês com legendas em espanhol:

Abaixo a segunda parte, “The Great Liberation“, 45min, narrado em inglês com legendas em espanhol:

//////////

More from Nando Pereira (Dharmalog.com)
A história Sufi do “estúpido idiota”
There is an old Sufi story about a philosopher who made an...
Read More
Join the Conversation

14 Comments

    1. Ótimo, Gleison. Não conhecia esse transmitido pelo History Channel. Já vi o B. Alan Wallace no primeiro capítulo, parece bom. vou fazer um post com esse também.

      Obrigado!
      Nando

  1. says: julio

    Bardo seria a passagem, segundo o rito Tibetano da morte física e o renascimento no corpo causal. Segundo determinada escola, a consciência se recolhe num determinado centro do coração, onde recolhe as Skandas (tendências positivas) e as Nidanas (tendências negativas)e por aí sai do corpo, que a essa altura já terá dele se separado ao romper-se o cordão de prata… E segue a alma no corpo astral unida ao espirito pelo cordão de ouro…
    O Deus Yama é o condutor para os iniciados e também quem determina no final do ciclo,quem não tenha condições de seguir no curso da evolução por não atingir o mínimo exigido por lei para um PRAMANTHA, e morrerá a segunda morte, rompendo-se em definitivo o cordão de ouro ou fio de Sutratmã. Essa gente simples tibetana, despojada de vaidades e voltada ao Culto do Rei do Mundo, era quem mantinha a chama até a chegada da roda no país das neves… Quando soou a hora do Ocidente e aos pés de uma certa montanha MOREB ou Mantiqueira o bastão de comando é entregue ao 32 BUDA BRANCO do Ocidente, quando o 31 Buda Vivo do Oriente entrega o comando espiritual da humanidade, que durante o ciclo de Aquários desenvolverá a raça nova dourada, filha das dores e das conquistas do Ocidente falando a língua de Camões. Por isso é preciso acordar o povo brasileiro para banhar-se nas puras águas do lago de SHAMBALHA e oferecer ao mundo exemplos de ética, honestidade, bondade, justiça, e seguir o exemplo dessa nobre gente tibetana. Teremos nos governando alguém digno desses predicados? A política é a face profana que rege juntamente com a religião o espiritual coletivo… É a Hora de pensar o país do QUINTO IMPÉRIO, a Pátria do Espírito Santo, sucessor desse que conduz seus mortos vivos, e os prepara enquanto vivos segundo o Buda, num rito inspirado por PADMA-SHAMBAVA, o nascido do lótus. Avante Brasil, Pátria do AVATARA MAITREIA! Sim, esse mesmo Maitri dos nobres irmãos tibetanos, mas com as feições do homem do ocidente pronunciando a sagrada palavra LADAK… LPD.

  2. says: claudio

    o filme “enter the void” usa muita referencia desse livro e exemplifica de uma forma nada ortodoxica o lance de desprendimento do corpo, a busca pelas ‘luzes’ e a reencarnação…

    o filme é muito pertubador em vários aspectos…

Leave a comment
Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *