“Gesto de paz que não põe condições”

HAVANA, 2 set (AFP) – O presidente de Cuba, Fidel Castro, ofereceu nesta sexta-feira ao governo dos Estados Unidos o envio de 1.100 médicos equipados com 26,4 toneladas de remédios para atender às vítimas do devastador furacão Katrina. (…) “Cuba está pronta para ajuda de imediato. Oferecemos coisas concretas, médicos no local da tragédia, que é exatamente o que está faltando agora”, disse Fidel. “Isso é um gesto sincero, de paz, que não põe condições. Não é para que acabem com o bloqueio”, garantiu, referindo-se ao embargo econômico que já dura mais de quatro décadas. “Nossos médicos têm uma grande experiência, podem atuar isolados, em grupos de duas ou mais pessoas, segundo as circunstâncias, pelo tempo que for necessário”, garantiu Fidel, lembrando que o governo cubano cobrirá todos os gastos do traslado desses profissionais. “A primeira coisa que fizemos foi oferecer nossos aeroportos, assistência médica. Estamos mais perto do que qualquer país da América Central e da América do Sul. Qualquer coisa que faça falta, por menor que seja, chega mais rápido daqui”, completou.
~ No Último Segundo (vi a notícia na Beth)

More from Nando Pereira (Dharmalog.com)
Todas as grandes realizações exigem tempo: a história do indiano Amar, premiada no Vimeo [VIDEO]
“Amar (Todas as Grandes Realizações Exigem Tempo)” (Amar – all great achievements...
Read More
Join the Conversation

3 Comments

  1. says: Bia Badaud

    ainda soube que ele disse assim, que poderia dar treinamento aos americanos, já que Cuba sofreu com um furacão recentemente, e não houve uma só baixa.
    seria engraçado, se…

  2. E o Bush recusou, não é? Primeiro ignorou e depois disse que era escárnio do Fidel…Ontem eu vi o programa da Ophrah Winphrey (é assim que se escreve?), ela foi ao Superdome com uma equipe de médicos semana passada e gravou ao vivo de lá. A situação é braba mesmo, dá vontade de chorar. Gente catatônica, ao lado de cadáveres, sem comida, agua, nem sequer energia eletrica… Um médico dizia que precisava de reforços de pessoal de saude, porque eles não estavam dando conta… Por falta de médicos e remédios estavam mandando pro necrotério o pessoal mais grave, sem muitas chances, pra, segundo ele,”morrerem em paz”. Triste não? Imagino que os cubanos iam ajudar bastante.
    Beijo querido

Leave a comment
Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *