Blackout vs. Timeout

Blackout vs. Timeout: NYC, Toronto, Floripa
Interessante esse blecaute hoje em Nova York, Toronto, Detroit, Washington etc pq ontem mesmo eu vi uma fila gigantesca de trânsito aqui em Floripa (o que não é uma cena frequente) e pensei comigo mesmo: muita gente diz que não pode parar, não tem tempo pra dar uma pausa e repensar a vida, que não dá, é impossível e tal, mas ali, naquela giga-fila, paradas, sem chance geográfica de fuga, sem atalhos ou alternativas, elas TIVERAM que parar. Meia hora, uma hora, duas horas, quanto o trânsito as obrigasse. Aposto como a maioria delas não podia perder nem mais 15 minutos. Perdeu. Como diz meu professor aqui, “quem não tem tempo pra cuidar da saúde, vai ter que arranjar tempo pra cuidar da doença“. Em outras palavras, se não houver timeout, haverá blackout. Atenção aqui e agora, automatic-mode people.

More from Nando Pereira (Dharmalog.com)
Cory Doctorow: “We live in a century in which copying is only going to get easier”
A frase está na entrevista de Cory Doctorow a Jason Kottke. Cory...
Read More
3 replies on “Blackout vs. Timeout”
  1. says: Guaco Bey

    Cowabunga!
    É isso ai. Ser saudável, bem-humorado, chegados a uns prazeres (escolha o seu que miriades há por ai), não julgar (prova que jésuskid era bom e que o cristianismo é que é estranho) e sentir, não saber, sentir que você nunca será perfeito – como no símbolo do tao: 1% de imperfeição não é lucro, é prêmio – isso tudo, chapinhas de espécie, é a semente duma revolução que quebra sistemas e nossa dependência aos processos e métodos deles. Dizem que Kafka era anarquista & as baratas comunistas ou capitalistas (sic).

    Orgasmesmos o universo vivo.
    Amém.

    gb

    COMMENT:
    maravilha sua reflexão.

    sobre a frase, já li em vários lugares, é um ótimo argumento, pouca gente realmente “entende” e reflete sobre tempo… mas sempre vêm os blackouts do sistema corpo humano pra avisar.

Comments are closed.