“O que somos, dizemos, pensamos, queremos, sentimos, fazemos”, por Jackson Kiddard

As palavras abaixo, do empreendedor francês Jackson Kiddard (“que virou filósofo e yogue e morreu na Índia em 1901”*) parecem ser um mosaico sintetizado de várias sabedorias importantes para o auto-conhecimento — lembram de Buda Sakyamuni e Fernando Pessoa, mas com uma força diferente por estarem todas num mesmo texto, num mesmo discurso. Todo ele direcionado a nós e ao que somos, dizemos, fazemos, queremos, sentimos e vivemos.

PS: Se alguém tiver informação de Jackson Kiddard, por favor, entre em contato, pois não consegui encontrar mais do que alguns textos soltos pela Internet (e também rara informação biográfica).

//////////

Por Jackson Kiddard

Tudo que você acha normal é uma benção. Tudo que você teme é um amigo que vem sob um disfarce. Tudo que você quer é uma parte de você. Tudo que você odeia, você odeia a respeito de si mesmo. Tudo que você possui não define você. Tudo que você sente é a única Verdade que há para se saber.

Tudo que você deseja já está em seu caminho pra você. Tudo que você pensa cria sua vida. Tudo que você procura vai encontrar. Tudo que você resiste vai permanecer com você. Tudo que você solta e deixa acontecer fica com você se tiver que ficar. Tudo que você precisa está exatamente onde você está.

Toda vez que você abençoa um outro abençoa a si mesmo. Toda vez que você culpa um outro você perde seu poder. Toda vez que você pensa que pode, você pode. Toda vez que você cai você deve levantar-se e tentar de novo. Toda vez que você chora você fica uma lágrima mais perto da alegria. Toda vez que você pede perdão, tudo que tem que fazer é perdoar a si mesmo.

Tudo que você vê é seu reflexo. Todos que você conhece espelham você. Todos querem ser felizes. Todos querem viver com alegria. Todo mundo procura um propósito superior. Todo mundo respira o mesmo ar. Todos precisam de amor pra sobreviver. Todos tem um propósito para realizar.

Todos são iguais a todos. Nós apenas nos confundimos com categorias, nomes, cor de pele e religião. Todos são iguais a todos os outros. Ninguém quer sentir dor. Todos são iguais a todos. Todos estão morrendo para que o amor possa prevalecer”.

~ Jackson Kiddard, escritor e polímata.

/////////

Foto por Di Bédard (Flickr), licença BY-NC.
Dica TheDailyLove.

More from Nando Pereira (Dharmalog.com)
transcendental clarity
There is no other task but to know your own original face....
Read More
Join the Conversation

9 Comments

  1. says: Angelo Fantinel

    Poderíamos incrementar com duas frases que eu adoro:
    “Tudo aquilo que sabemos, aprendemos fazendo”
    “Quanto mais eu me controlo, menos sou controlado”

    1. says: Norma

      Perfeitas as frases. Desculpe-me,mas sinto que o que elas traduzem já está implicito no texto. Posso estar equivocada ou sob forte impacto, ao ver anos de leitura compactados em poucas linhas, absorvidas em frações de segundos. Fique bem, Norma

  2. says: Norma

    TUDO (new wave, UCEM, Conversando com Deus, Unicidade, técnicas de terapias breves e teorias cientificas, nova biologia, incluíndo os pós “O Segredo”/Lei da Atração, etc…etc…) que eu já tenha travado conhecimento está contido em suas palavras. Ele foi a FONTE/Marco para todos, ao meu ver, e ainda assim é O mais moderno, porque consegui agregar o pensamento deles, em poucas linhas. Eu teria que iluminar todas as palavras pelo grau de importância e só lamento ter levado tanto tempo para conhecer o presente texto. Maravilhosa síntese.
    E, para tanto recebido, apenas 2 palavras por teres me apresentado o J.Kiddard: Muito obrigada!

    1. says: nandop

      Belo depoimento, Norma. Também sinto essa potência de síntese no texto do Kiddard. Por causa do teu comentário fui reler, pela enésima vez, já com sono, e me levantei com o poder dessas frases, tudo muito certeiro e profundo.
      Obrigado por ter escrito aqui pra gente!
      Um abraço.

    2. says: maria

      sim, não conhecia o autor, estou vivamente impressionada por suas palavras sábias que sintetizam tudo! mto obrigada! maria

  3. says: angela goçalves

    Amor não é se envolver com a pessoa perfeita,
    aquela dos nossos sonhos.
    Não existem príncipes nem princesas.
    Encare a outra pessoa de forma sincera e real, exaltando suas qualidades, mas sabendo também de seus defeitos.
    O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser.

  4. Pingback: A função da irritação, do abandono, do medo, da submissão: a visão de Jason Kiddard sobre o que vivenciamos - _ dharmalog | _ dharmalog
Leave a comment
Leave a comment

Your email address will not be published.